Concrete Logo
Hamburger button

Build, Measure, Learn. Build what??

  • Blog
  • 10 de Março de 2013
Share

dilbert_08072012_new_product_brainstorm

Os projetos de Lean Innovation e Lean Startups em geral apoiam-se na abordagem do Build, Measure, Learn. A idéia é começar a construir e entregar a possíveis usuários coisas tangíveis que eles possam usar e trazer algum feedback.

Em um projeto que estamos fazendo, o cliente fez um trabalho muito interessante de pesquisa e benchmark do mercado e de possíveis concorrentes, mas não saiu do plano conceitual. Este é um sintoma comum em corporações: a dificuldade de começar a executar. De escolher um caminho e construir algo usável. É compreensível a angústia sobre qual é “O Melhor Caminho”, mas o interessante da abordagem Lean é que você não precisa acertar exatamente tudo na primeira tentativa. Você pode e deve tentar, experimentar e ajustar o caminho. Mas para isso é necessário começar a CONSTRUIR.

No produto que estamos construindo, há uma série de funcionalidades e possibilidades de caminhos. Tivemos uma reunião para discutir as histórias com um time multidisciplinar composto por nós, pessoas de negócio e da área técnica do cliente, e havia também uma pessoa com background em Design Thinking. Nesta reunião acabou emergindo um formato interessante, carinhosamente batizado de Brown Paper 🙂

brown_paper

Neste quadro nós mapeamos diversos pontos de interação das pessoas com o produto. Cada ponto de interação ficou mapeado em uma coluna, e aí encaixamos as histórias em seus respectivos pontos de interação. Pelas colunas que aparecem na foto é possível ver que o produto tem um aspecto social bem forte, com eventos e preocupações quanto ao acesso, convites a amigos, etc. Em breve falaremos mais sobre este produto e ficará clara a sua proposta 🙂

Nosso Brown Paper ganhou uma versão colaborativa digital, através de um template do Google Drive. A versão digital ficou mais ou menos como a seguir.

Blue_Print_painel_Blog

Em cada post-it ficou descrita a história e a hipótese de negócio associada. Um exemplo: Eu como usuário quero acessar o Produto com minha conta do Facebook [As pessoas permitirão que o Produto acesse suas contas do Facebook]

Neste ponto já sabíamos comunicar bem as características do produto, as histórias e uma porção de nuances importantes. Porém, persistia a pergunta: Por onde começar? Propusemos então o Experimento 1, que nada mais é do que o primeiro ciclo de aprendizado, com a escolha de um caminho, construção de protótipo e definição de métricas.

Definição de experimento

  • Visa o aprendizado sobre uma ou mais hipóteses de negócio
  • Apoia-se em métricas para fundamentar decisões

Hipóteses de negócio envolvidas

  • As pessoas permitirão que o Produto acesse suas contas do FB
  • As pessoas desejarão criar contas no Produto sem associação c/ FB
  • As pessoas vão querer [funcionalidade importante do Produto]
  • As pessoas querem usar a lista de contatos do Facebook para convidar seus amigos
  • As pessoas querem convidar amigos que não estão em nenhuma lista

O que queremos aprender?

  • Proporcionalmente mais pessoas usam FB ou contas só do Produto?
  • Precisamos otimizar UX p/ pessoas usarem funcionalidade XPTO assim ou assado?
  • Podemos priorizar a integração com o FB ou é necessário suportar de forma completa o uso sem FB?

Como?

  • Construindo aplicativo nativo iOS, de rápida prototipação
  • Funcionalidades: acesso, cadastro, criação de eventos, convidar amigos e funcionalidade XPTO
  • Tamanho da amostra: 50 usuários alpha

Porque começar por mobile em vez de Facebook app?

  • Aspecto prático de uso: quando as pessoas combinam eventos elas estão com o celular, não necessariamente perto do computador
  • Desenvolvimento e prototipação são mais rápidos
  • Experiência prévia da CS mostra que quando mobile é importante, desenvolvimento mobile-first gera melhor usabilidade e resultados

E agora?

  • Detalhar backlog do protótipo a ser construído
  • Construir protótipo instrumentado com métricas
  • Divulgar aplicativo para usuários alfa e iniciar análise de métricas
  • Preparação para experimento 2

A escolha do primeiro artefato a ser construído não foi tão simples, mas na prática definiu o conjunto mínimo de recursos que precisávamos oferecer para conseguir obter algum feedback e métricas, com ciclo de construção de 2 semanas. Como é um produto muito social, era muito difícil obter algum feedback sem oferecer o cadastro, autenticação e convite a amigos. Por outro lado, oferecer só isso sem ter nenhuma funcionalidade essencial do Produto era contraproducente, pois as pessoas não entenderiam o motivo de estarem se cadastrando ou logando em um produto novo.

O pragmatismo Lean nos manda construir logo algo que permita ir a campo e aprender sobre o produto. Após 1 ano de conceituação de negócio antes de entrarmos no projeto, ver que em 2 semanas já começaremos a aprender sobre o produto com algo tangível já traz uma enorme sensação de vitória. Fiquem ligados por aqui, pois contaremos muito mais sobre esta e outras experiências em breve!