Concrete Logo
Hamburger button

Mercado Mobile e Agilidade em Belém: entrevista com o Tá Safo!

  • Blog
  • 24 de Setembro de 2014
Share

Recebemos na semana passada a visita de Ramon Rabello, analista especialista mobile na BB Tecnologia e Serviços, e Fernanda Melina, analista de sistemas e coordenadora de equipes na TOTVS S.A. Os dois são os principais entusiastas da agilidade de Belém/PA e membros da Comunidade Tá Safo!, sigla para “Tecnologias Abertas com Software Ágil, Fácil e Organizado”, e também um termo paraense para “tá legal”. De passagem em Sampa, aproveitaram para nos visitar e conversar um pouco sobre o evento GDG DevFest Norte 2014, do qual são organizadores; e sobre a comunidade de desenvolvimento paraense em geral.

Como adoramos conhecer pessoas novas e bater papo sobre tecnologia, decidimos compartilhar aqui no blog alguns detalhes dessa conversa. Participaram também do bate-papo Olavo Castro, arquiteto de soluções, e Glendon Leitão, desenvolvedor, ambos aqui da Concrete.

Primeiro, sobre o evento DevFest. De acordo com Ale Borba, gerente de comunidade do Google, a ideia surgiu em São Paulo, com o Google Developer Day, um evento sobre as novidades de desenvolvimento da gigante. Como nem todo mundo tinha condições de ir a São Paulo para participar, o Google teve a ideia de promover eventos com as próprias comunidades locais. DevFest

O evento acontecerá no próximo dia 1º de novembro, e todas as informações que você precisa, inclusive os valores de cada lote, estão neste site. Entre os palestrantes confirmados, já temos: Hiarison Gigante, da PHP Maranhão; Vinicius Gracia, CTO & Founder da Easy Taxi; Lucas Mousinho, da Jambu Tecnologia; Santhyago Gallão, da Samsung; Aldrin Leal, da Ingenieux Labs; Paulo Moura e o próprio Ramon Rabello, ambos representando a Comunidade Tá Safo!; dentre outros. A grade ainda não está finalizada e novos palestrantes serão definidos. O evento será composto de duas trilhas: web/cloud e mobile. Vai ser uma ótima oportunidade para falar sobre desenvolvimento com apoio oficial do GDG – Google Developer Groups, o que é bem legal.

E a comunidade paraense?

Depois dessa introdução, eu quis saber um pouco mais sobre a comunidade de desenvolvimento em Belém/PA e como estava a área de desenvolvimento mobile por lá. Pelo que o Ramon me explicou, o pessoal é bastante engajado! Ele participa ativamente da comunidade HYPERLINK “https://tasafo.wordpress.com/”TáSafo,  que já tem 7 anos de existência e conta com mais de 1200 participantes nas redes sociais, incluindo Norte e restante do Brasil. É uma comunidade aberta, como a Fernanda explicou: “Temos algumas linhas de atuação, como negócios, desenvolvimento, mobile e etc. Assim, os líderes emergem na área que mais gostam realizando palestras, motivando novas ações e organizando micro-eventos, conhecidos como #tasafoemacao”.

TáSafo

Um exemplo mais recente de atividade realizado pelo Tá Safo! é o #HYPERLINK “https://tasafo.wordpress.com/2014/09/10/tasafoembarcacao-no-barco-hacker/”tasafoEmbarcAção, evento que é realizado no “Barco Hacker”, iniciativa da empresária Kamila Brito em parceria com a Casa da Cultura Digital Pará. De acordo com Ramon, “a ideia é passear pelos setores ribeirinhos no barco e divulgar informações, falar sobre os problemas e melhorar a comunicação entre os ribeirinhos e o governo, em talks de um ou mais dias”. Legal, né? Ramon ainda falou um pouco sobre o Açaí Valley, iniciativa que pretende fomentar startups paraenses. Hoje, são atualmente 36 startups por lá, várias com foco em mobile.

Para terminar, falamos sobre o estágio de mobilidade e agilidade em Belém. Para Ramon, apesar do grande interesse dos desenvolvedores, ainda falta a cultura de mobilidade nas empresas: “eu vejo o mercado ainda muito emergente por lá. O pessoal é esforçado, gosta de desafios, e por isso tem surgido bastante coisa, como startups, incubadoras em faculdades estratégicas, etc. Mas temos muitos talentos escondidos. Muita gente me procura querendo entrar na área de mobile, inclusive com TCC focado nessa área, mas não temos empresas que de fato trabalham com isso”.

agile

Segundo ele, normalmente as empresas paraenses já consolidadas vão migrando negócios web para mobile aos poucos. “Fica meio in loco, não vejo uma grande explosão. Tem um grande interesse, mas o mercado ainda não abraçou”. E o caminho para conscientizar essas empresas, para ele, é mudar a cultura. É isso que o Tá Safo! tenta fazer: difundir cultura de agilidade para facilitar a inovação e os investimentos em mobile, por exemplo. “Hoje, eu defino agilidade em Belém como autoditatismo. Existe interesse e participação por parte da comunidade, mas as empresas não estão acompanhando”.

Olavo complementou que grandes nomes da agilidade são paraenses, pioneiros no assunto, como Alexandre Magno, Edgar Silva e Manoel Pimentel, por exemplo. Eles até levam a agilidade brasileira para fora do País, mas as empresas paraenses ainda estão em um processo de amadurecimento. De acordo com o manifesto #smallActs, “pequenas ações levam a grandes revoluções”. E é assim que o Tá Safo! está chegando lá. E nós concordamos e apoiamos essas iniciativas! =)

Só os paraenses! Da esquerda para a direita: Glendon Leitão, Ramon Rabello, Fernanda Melina, Rafaela Cardoso e Olavo Castro.

Só os paraenses! Da esquerda para a direita: Glendon Leitão, Ramon Rabello, Fernanda Melina, Rafaela Cardoso e Olavo Castro.

Alguma dúvida, sugestão ou quer saber mais? Deixe aqui embaixo seu comentário!