Concrete Logo
Hamburger button

Colocação profissional, carreira e o mundo mobile

  • Blog
  • 9 de Outubro de 2014
Share

Hoje, o acesso à web por dispositivos móveis já está perto de superar o acesso por PCs tradicionais. Isso porque é muito mais fácil ter a internet na palma da sua mão, durante todo o dia, em qualquer lugar.

Nesta lógica, está cada vez mais comum a procura de profissionais de diversas áreas por informações úteis como recolocação profissional, avaliação da própria carreira, pesquisas sobre remuneração, situação do mercado, entre outras, na internet e, por consequência, no celular. Do outro lado, as empresas também usam o meio para buscar profissionais qualificados que possam agregar aos seus times.

É por isso que, mundialmente, empresas que provêm características relacionadas ao assunto têm investido maciçamente no universo mobile. Linkedin, Glassdoor, Jobs, Shine.com, entre outras, já oferecem aplicativos com certas inteligências ao candidato e à empresa.

O que as companhias de RH ganham com um app mobile?

Além de poder vender serviços a candidatos e empregadores, como já têm feito de forma tradicional, um dispositivo intuitivo ajuda a parametrizar de forma muito mais rica a quantidade e qualidade de vagas e candidatos. Por vocação, um aplicativo é muito mais condensado e assertivo em buscas e resultados, além de destacar sempre o que é mais importante aos olhos.

1

E o Brasil, onde entra?

Em um país onde se tem a cada mês 200 mil vagas a serem preenchidas, o mundo mobile é um prato cheio. Profissionais de todas as áreas querem saber como suas carreiras andam e para onde elas devem ir. Arranjar um novo trabalho, saber como anda a concorrência, medir se seus conhecimentos estão atualizados e até mesmo ‘passar o tempo’ deve ser rotina de todo empregado e, porque não, empregador.

Pensando ainda que uma parte destas vagas são para trabalhos de menor monta intelectual, então, o horizonte é ainda mais amplo. Muitos brasileiros podem ter dificuldade em elaborar um curriculum vitae de qualidade pelo analfabetismo digital, mas para dar um like em uma vaga, como no Facebook, e automaticamente se candidatar a ela, aí sim a coisa muda de figura.

A visão da Concrete sobre o este mercado

Existem dois públicos a serem atendidos: candidato e empregador. Fazer com que eles se encontrem com a maior simplicidade, velocidade e exatidão possível são os objetivos primários deste desafio. Além disso, como é parte do nosso DNA, temos que considerar a experiência do usuário na hora de construir um aplicativo que atenda esse objetivo.

Por exemplo: é óbvio que a ferramenta precisa de um conjunto mínimo de informações, como formação e experiências anteriores, para funcionar. Mas muitos dos que estão lendo este post sabem como pode ser maçante o preenchimento de intermináveis formulários.

Então, por que não aprender com o comportamento do candidato e, com estas informações, alimentar seu próprio perfil? Por meio de inteligência artificial, quanto mais likes e dislikes o candidato der, maior a chance de ele visualizar somente vagas que definitivamente tenham a ver com seu perfil.

2

E para o recrutador? Especialistas de RH têm por vocação um conjunto de conhecimentos generalistas. Mas eles não podem e nem devem saber tudo de todas as profissões. Saber que um meio-oficial soldador não está habilitado para trabalhar em andaimes ou que um programador PL/SQL não está necessariamente pronto para atender a uma vaga de PL não é exatamente sua função. Então, aplicamos a mesma lógica do like e dislike para parametrizar as infinitas pesquisas de seu dia a dia. E este comportamento de pesquisa fica armazenado para pesquisas futuras.

E você, o que acha? Esse produto funcionaria para você ou seu negócio? Deixe seu comentário! Até a próxima.