Concrete Logo
Hamburger button

Os dinossauros explicam: Qual é a melhor distribuição Linux?

  • Blog
  • 10 de Dezembro de 2014
Share

Não vamos falar sobre mamilos, mas com certeza este também é um assunto muito polêmico, responsável por intermináveis brigas em fóruns e listas de discussão. Qual é a melhor distro Linux da atualidade?

Para deixar a minha posição bem explicada, vamos voltar à epoca dos dinossauros, há 65 milhões de anos. Eles reinavam absolutos. Como o clima do planeta Terra era estável e quente, o organismo dos dinossauros não precisava ser endotérmico (mecanismo que aquece o sangue), e sobrava bastante energia para a caça. Aliás, eles eram grandes caçadores, corriam muito, eram fortes e possuiam garras e dentes excepcionais.

dinossauro

Nesta mesma época viviam os primeiros mamíferos, e a maioria deles vivia acuada, comendo poucos insetos e correndo para não se tornar presa dos dinossauros. Estes mamíferos de sangue quente geralmente se escondiam e evitavam gastar energia.

mamífero

Olhando as condições do ambiente e desses dois grupos de animais, fica bem claro que os dinossauros levavam uma vantagem absurda. Eles devoravam mamíferos aos montes e estavam em maior número e variedade na Terra.

Eis que surge o meteoro para mudar o rumo do jogo. E não foi um meteoro da paixão, pois ele causou um estrago muito grande no México  e seus efeitos foram sentidos em todo o planeta. Incêndios globais, tsunamis, e uma nuvem de poeira que cobriu o céu por décadas.

Além, é claro, dos animais que foram pulverizados pelas ondas de calor e choque, muitos dinossauros começaram a morrer: animais grandes precisam de comida em abundância, muita água limpa, bastante oxigênio e, para piorar, como eles não tinham sangue quente dependiam diretamente do sol. Em compensação, nossos amiguinhos mamíferos eram pequenos, comiam pouco, respiravam lentamente, se escondiam em tocas e tinham sangue quente. Eles sobreviveram e dançaram sobre os cadáveres dos lagartos gigantes.

Contei toda essa história para te dizer que a melhor distribuição Linux simplesmente não existe. Assim como os dinossauros caíram na luta pela sobrevivência, uma distro não pode ser absoluta para sempre. Pode procurar, ela não existe. Mas qual o sentido deste post, então? Bom, eu disse que a melhor distro não existe, mas existe uma distro que é muito boa para uma determinada atividade.

Depois de fazer uma longa e extensa pesquisa (na verdade só olhei no distrowatch.com), decidi falar sobre quatro distribuições especiais, e para que elas são indicadas. Não vamos incluir distribuições pagas e nem derivadas de derivadas de derivadas.

Nossos campeões são (sem ordem de importância):

ubuntu

O Ubuntu não é a distro mais velha, mais fácil, mais bonita e nem a mais customizável, mas é sem sombra de dúvidas uma das mais utilizadas. A grande maioria dos programadores que conheci (dentre os usuários de Linux) optaram por Ubuntu, e com isso temos uma comunidade grande e ativa. Muitas empresas de software têm versões para Ubuntu, e há também uma ampla documentação na Internet. Está na dúvida? É desenvolvedor? Vá de Ubuntu, se não gostar depois você troca.
#bomparadesenvolvedores #sóqueroquefuncione #naoescovobits #deixadojeitoqueestá

debian

O Debian é velho. Muito velho. É uma distro muito bacana porque você tem opções. Você escolhe quase tudo no sistema. Você monta uma imagem leve com Debian, na casa das dezenas de megabytes. Por iso ele é usado como base para o Ubuntu e muitas outras distros. Além de ter milhões de pacotes, uma boa comunidade e ser personalizável, o Debian é estável. Estável como uma rocha. Por isso, o Debian é uma das melhores escolhas se você quer montar uma distribuição para appliance, um servidor que precisa ser minimalista ou uma distribuição customizada.

#panelavelhaéquefazcomidaboa #sólidoerápido #tipolego #querodomeujeito

fedora

Descendente do Red Hat, o Fedora é uma espécie de playground. É nele que a empresa testa as mais variadas coisas antes de incluir no irmão mais velho. Isso é bom e ruim no Fedora: ele tem sempre os últimos programas lançados, muitas novidades saem antes para Fedora e ele é agraciado com os programas feitos pela própria Red Hat. Em compensação, nem sempre ele é estável, algumas versões têm problemas e ele muda com bastante frequência. Se é novidade eles colocam, não importa se vai ser aceito depois ou não. Como a Red Hat comprou a empresa dona do KVM  eles não pararam mais de inovar nesta área. Foram tantas inovações com Boxes, Libvirt, Spice, que o Fedora oferece a melhor experiência em virtualização dentre as distros analisadas. Em um teste feito no início de 2014 o Fedora se mostrou 30% mais rápido que o segundo colocado rodando o mesmo stack. Vai de virtualização no KVM? Vá de Fedora.

#navanguarda #sónovidades #vivendonolimite #ouvaiouracha

opensuseA Novell sempre foi uma empresa dedicada ao mundo corporativo. Nem dá para acreditar como um produto com o calibre do OpenSuSE é gratuito. Eu não conheço outra distro que tenha uma ferramenta tão madura, completa e útil como o Yast. Com ele você configura servidores DNS, DHCP, LDAP, Apache, MySQL, usuários, grupos, políticas de segurança… quase todos os aspectos do S.O. podem ser ajustados no Yast. Além de toda essa facilidade oferecida pelo Yast, tem ainda a documentação impecável da Novell e a compatibilidade com a maioria dos softwares corporativos que rodam no SLES (Suse Linux Enterprise Server). Por essas e outras que o OpenSuSE é uma das melhores distros para servidores corporativos. #coisaséria #limpoeprofissional #semfirulas #naotãorápido

Existem ainda outras ótimas distribuições com propósitos definidos, como o Kali Linux para segurança e penetration test ou Arch Linux e Gentoo para pessoas que querem conhecer e mudar em detalhes seu S.O. A dica é experimente. Não dói nada criar uma VM no VirtualBox ou Vagrant para descobrir se gosta ou não.

É isso aí. Se você quer indicar outra distro, tem alguma dúvida ou recomendação, é só usar o campo dos comentários. Abraço e até a próxima =D