Concrete Logo
Hamburger button

Como está o mercado mobile para os desenvolvedores?

  • Blog
  • 4 de Março de 2015
Share

Foi divulgado na semana passada o relatório “State of the Developer Nation Q1 2015”, baseado em entrevistas com mais de 8 mil desenvolvedores mobile de 143 países. A pesquisa foi coordenada pelo Developer Economics, um programa de pesquisa sobre desenvolvimento de aplicativos mobile que tem por objetivo ajudar os desenvolvedores a achar as melhores plataformas, ferramentas e APIs. O documento mostra as plataformas e linguagens mais usadas, os modelos de receita e as principais ferramentas adotadas, entre outras coisas. Neste post, vamos reunir alguns dos destaques. Se você quiser ver o documento na íntegra, é só fazer o download neste link.

O primeiro tópico abordado, claro, está relacionado à “guerra das plataformas”. Apple ainda domina o “high-end” enquanto o Android domina o restante do mercado. Windows Phone está crescendo, com 30% de mindshare, mas ainda não tem vendas o suficiente para convencer os desenvolvedores. Na preferência deles, Android é a plataforma prioritária com 40%, seguida de perto pela iOS com 37%. Windows Phone e browser ficam com apenas 8% e 7%, respectivamente. O relatório ainda mostra que a adoção de Android é maior em todo o mundo, mas na América do Norte e na Europa o iOS ainda domina, com 42% da preferência.

fulltime-pros-duopoly

A pesquisa também observou que o crescimento das receitas diretas está desacelerando. Esse tipo de receita é a preferida dentre os “Hobbyists” (que desenvolvem em seu tempo livre, por diversão), “Explorers” (desenvolvedores independentes que ganham experiência em projetos paralelos) e pelos “Hunters” (desenvolvedores experientes que vêem aplicativo como negócio e estão focados no dinheiro). Esses três perfis formam 60% da população de desenvolvedores mobile, e a competição entre eles está crescendo.

De acordo com o estudo, 17% dos desenvolvedores que está interessada em ganhar dinheiro com aplicativos não ganha nada com isso. 18% deles conseguem menos que US$ 100 por mês, enquanto 17% estão na faixa entre US$ 100 e US$ 1,000 mensais. Ou seja, 52% dos desenvolvedores que pretendem ganhar dinheiro com aplicativos conseguem menos que US$ 1,000 por mês. Dividindo por plataformas, 37% dos desenvolvedores de iOS ganham menos que US$ 500 por mês, enquanto 39% desses desenvolvedores conseguem mais que US$ 5,000 mensais. A distribuição de receita para desenvolvedores Android não é muito diferente do que o BlackBerry 10 ou Windows Phone. Também é fato que os desenvolvedores que começam com iOS ganham muito mais dinheiro com Android depois do que aqueles que priorizam a plataforma.

below-1k-month

Mesmo com a imaturidade das plataformas de IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas), a pesquisa mostrou que os desenvolvedores mobile estão bastante interessados nessa área. 53% dos desenvolvedores entrevistados já estão trabalhando em algum tipo de projeto como esse. O mercado mais popular é o de automação de casas, com 37%, seguido por wearables, com 35%, mas a maior parte desses desenvolvedores estão trabalhando nisso como um hobby (30%) ou projeto paralelo (20%), enquanto trabalham com aplicativos mobile em horário comercial.

O conhecimento sobre diversas ferramentas também está crescendo entre os desenvolvedores de todo o mundo. A porcentagem de profissionais que não usam nenhuma ferramenta de terceiros já caiu abaixo de 17%. A categoria mais popular nas ferramentas é de anúncios, que tem uma taxa de adoção de 31%.

A equipe responsável pelo relatório ainda estima que 5,5 milhões de desenvolvedores mobile mantiveram ou desenvolveram aplicativos “publicáveis” em 2014. E outro ponto abordado foi o chamado “App Economy”, que abordou os formatos de receita. De acordo com o documento, vendas de e-commerce dentro do aplicativo chegam a movimentar US$ 300 bilhões, apesar de apenas 9% dos entrevistados desenvolverem aplicativos com e-commerce. O valor é 2,5 vezes maior do que todas as outras fontes de receita juntas, como vendas na app store (com US$ 40,5 bilhões) e publicidade (com US$ 34 bilhões).

Economy

Por fim, vale destacar que apesar da imaturidade e pouco tempo de uso da Swift, o uso da linguagem está crescendo de forma inédita. Com quatro meses de lançamento, 20% dos desenvolvedores entrevistados estão usando a linguagem, o que mostra que pelo menos curiosidade a novidade da Apple gerou.

E aí, o que achou dos resultados? A partir de sua opinião pessoal e visão de mercado, concorda ou discorda? Deixe abaixo o seu comentário! Até a próxima.