Concrete Logo
Hamburger button

Os 10 links do mês – Julho

  • Blog
  • 30 de Julho de 2015
Share

E já passamos por um semestre inteiro de 2015! Neste período, aumentamos em 70% o número de funcionários, tivemos mais de 73 mil visualizações no nosso Blog de 37 mil usuários diferentes, participamos de 17 eventos, entregamos 98 aplicativos e publicamos mais de 100 posts aqui no Blog. E como não poderia deixar de ser, nosso fórum interno não ficou pra trás: foram mais ou menos 300 links e compartilhados por lá em julho. O trabalho foi árduo, mas reunimos aqui os 10 mais comentados. Quer ver?

1. The 37 best websites to learn something new

Por que não começar uma lista com outra lista? =) A indicação, do Erick Santos, traz diversas dicas de sites para aprender a programar, a trabalhar com dados, a conhecer novas línguas e etc. Alexis Henault complementou a lista com o Babbel, que segundo ele é muito melhor que o Duolingo para aprender um novo idioma. Kaio Cardamone, por sua vez, indicou o Code Combat para novas linguagens. Apesar de não ter muitas opções de linguagens, é bem intuitivo e você ainda se diverte, de acordo com Kaio.

2. Humans need not apply

O vídeo sobre inteligência artifical foi indicação da Patrícia Souza, que deu o seguinte recado: “Prepare yourselves”. Guilherme Siepmann usou um GIF para comentar:

wall_e

 

Filipe Mondaini sugeriu essa música, composta por uma IA. Rodrigo Deodoro comentou com mais um GIF:

unnamed

E Gabriel Brettas acabou assim:

unnamed13. M-Banking ocupará 56% das transações até 2019

A notícia publicada pelo E-Commerce Brasil foi indicação da Roberta Altermann. Ao ler, Victor Lima lembrou que para cada X usuários fazendo um autosserviço via aplicativo pode ser uma agência fechada. Na opinião de João Felipe o número de agências pode até fechar, mas o Sindicato dos Bancários vai fazer de tudo para manter os empregos; a taxa de manutenção será a mesma, se não ficar mais cara; e é capaz de o BACEN criar alguma normativa impedindo o uso dos aplicativos para operações bancárias. Para Lima, nenhuma dessas iniciativas (talvez só a primeira) vai vingar mais do que o ano 2020-2025, pois 10 anos para um banco não é nada.

Gabriel Brettas lembrou do Tweet abaixo comentando que esse pensamento se aplica muito bem a qualquer segmento dominado por um “poder antigo”.

unnamed2

Cícero Jacobi diz que também existe a síndrome do Frankstein, com a qual as pessoas preferem atear fogo nas coisas ao invés de se adaptar ao novo.

4. The Role of a Senior Developer

Foi Rafael Toledo quem indicou o post de Matt Briggs. Samuel Barbosa achou ótimo o artigo e destacou o seguinte trecho: “A senior developer undestands that leadership is not about power, it is about empowerment. It is not about direction, it is about serving”. Já o trecho que mais chamou a atenção de Matheus Lima foi: “A senior developer thinks in terms of ‘context’ when applying theory. They understand that ther is no ‘Right Way’ to build software, and that the only way to build good software is by adapting theory to fit the needs of the client, codebase, team, tools, and organization”.

Halyson Gonçalves, se pudesse resumir em código, diria algo assim:

5. Libmobiledevice

Rafael Pires indicou essa lib para iOS, similar ao comando adb para Android (interação com devices e simuladores via linha de comando). Ela está disponível no brew para Mac OS e ele seguiu esse tutorial para instalação. Tales Pinheiro percebeu que aparentemente ela resolve o problema de reinstalar o app no device. Oscar Tanner achou bem interessante a ferramenta. Ele disse que hoje o pessoal de QA usa a ios-deploy para cuidar da instalação dos apps em devices. Ela também pode ser instalada pelo Brew e possui diversas funcionalidades, mas eles usam mesmo só a instalação em devices. Um ponto negativo para a Libmobiledevice que Oscar levantou é que o último commit foi feito em abril de 2013. =/ Mas aí Tales mostrou que só esse repositório. Tem mais coisas nesse link aqui.

6. How to Write a Git Commit Message

O post de Chris Beams foi indicação de Rodrigo Deodoro. Victor Oliveira acrescentou que muitas vezes a alteração é fácil de entender vendo o push em si. A mensagem deve ser complementar, e pensar em um link com o valor de negócio ou pelo menos o PBI (Product Backlog Item) é legal. Isso tem relação com o que é citado no 7, em why. O why é o mais difícil de adivinhar olhando o código. João Felipe comenta que por essas e outras é que ele gosta de fazer o hook com stories, tasks e bugs no JIRA. Reduz bastante o trabalho de escrever mensagem de commit. Victor diz que a referência é legal, mas o hook meio que te obriga a navegar… Para ele, a mensagem ali tem potencial.

7. Moccato

Pausa para o café! Literalmente. Bruno Moneró trouxe esse link como dica para a galera viciada. Thiago Bezerra complementou a lista com o Mokaclube e o Grão Gourmet. Filipe Mondaini contou que rolou um boom de empresas que vendem café gourmet. Até o André Noel, do Vida de Programador, e o Vitor Belfort entraram na parada. Ele ficou interessado no Moccato, mas perdeu a pré-venda. Disse que vai assinar um mês pra ver qual é.

Tales Pinheiro disse que na UIKonf o café era fornecido por uma cafetaria indie, que separou o dia em quatro blocos e em cada um servia um café de um país ou região diferente. Segundo ele, o melhor era um café brasileiro, moído e torrado na França por uma cafeteria alemã fundada por dois australianos. =)

Guilherme Siepmann aproveitou o assunto para mostrar em um vídeo de nove minutos como fazer um café gelado. Diego Chavão disse que deve ser por isso que ele fica nove minutos na fila do Starbucks ou nove minutos tentando explicar qual café ele quer para a moça do California Coffee. Filipe Mondaini gostou do vídeo (#coffeeporn):

unnamed (1)

Matheus Lima não gosta do gelado, não. E Filipe terminou o assunto indicando como conseguir uma Nespresso em condições especiais. =)

8. Xiaomi Launches Its First Smartphone Outside Asia

Victor Lima escreveu esse post sobre a chegada da Xiaomi ao Brasil, mas antes disso indicou no nosso fórum a matéria do Wall Street Journal (no título) junto com essa entrevista com o Hugo Barra e com essa imagem:

image1

Marcel Junior, Patrícia Souza e João Ramos animaram de comprar um Redmi, mas André Silva foi ver a spec dele e achou meio caído… Não se interessou, não. Filipe Mondaini gostou do preço baixo da Mi Band e do Mi Bank, e Rafael Alves lembrou que se a Xiaomi conseguir ser um concorrente forte o suficiente para baixar os preços dos smartphones em geral será ótimo. Por fim, Filipe Mondaini disse que está ansioso para o lançamento desse cara aqui.

9. Don’t Force Users to Register Before They Can Buy

O artigo em formato de dica foi dado pelo Renato Monteiro. Diego Chavão destacou esse trecho: “Forcing registration causes lost sales. Some users will leave the site, others will struggle with registration. It is common for sites that add guest checkout to immediately realize increased sales. It is a simple way to improve usability and encourage purchasing.” E perguntou se já deixamos de fechar uma compra porque era necessário fazer um cadastro. Ele diz que nunca desistiu e que cadastro em e-commerce aqui no Brasil é tão cultural que acharia até estranho se tivesse a opção de comprar como visitante deslogado.

Guilherme Siepmann já desistiu. Disse que o site pedia registro para que ele pudesse visualizar o produto. Diego disse que fica surpreso com 14% de taxa de abandono por falta de guest checkout e mostrou esse infográfico. João Gouveia também já desistiu de comprar e diz que o fato de um cadastro, principalmente extenso, antes da compra faz com que o usuário tenha tempo para pensar e perca o impulso da compra. Mas destaca que isso não é uma regra, claro. =) Natan Ximenes disse que acaba desistindo quando está apenas pesquisando, querendo saber o valor total do produto com o frete, principalmente em compras internacionais, e o site pede cadastro.

André Silva disse que uma vez tomou a decisão de jogar o cadastro para o pós-compra e conseguiu aumentar em mais de 500% a conversão. Ele diz que não foi tudo graças à remoção do cadastro, mas com certeza ajudou bastante. Diego Chavão disse que a “compra sem cadastro” das lojas da B2W é a mesma página de cadastro, mas sem a senha…

facepalm

André Cardoso diz que já ouviu o argumento de que “quem quiser vai preencher o formulário inteiro”, que ele achou bizarro. João Gouveia comparou essa situação com o formulário de visto americano, no qual o maior interesse está em quem quer preencher. Filipe Mondaini disse que já perdeu o impulso da compra no meio do preenchimento do formulário e já comprou com pouco impulso usando o one-click da Amazon no Kindle depois de ler uma amostra, porque não tinha nem um “você tem certeza?” depois do link de “se você quiser continuar lendo…” =)

Para terminar, André analisou quanto é importante o cadastro. Se você está comprando um produto com um desconto BOM, você termina um cadastro maior. Se você está comprando porcaria, não. Se você tá comprando uma coisa que precisa e só tem ali, vai completar. Se é algo que tem em 10 opções diferentes, não. Quanto mais genérico for a loja/produto, mais importante é a simplicidade do cadastro.

10. Bradesco lança aplicativo para Apple Watch

Percebemos que bancos e tecnologia são um bom assunto aqui na Concrete. Essa notícia quem deu foi o Federico Maier, e Victor Lima opinou que receber tokens, ver extrato e saldo e etc. são casos de uso legais, mas quando você está com o negócio no pulso e na rua, o que ele já precisou é de agências mais próximas com passo-a-passo no pulso até elas ou um botão de pânico, ligando direto para o gerente quando estiver em apuros na rua.

André Silva disse que acha o botão de pânico arriscado, meio que uma sentença de morte. E disse que a melhor ideia que ele já viu nesse caso é poder digitar a senha ao contrário ou com um pequena modificação e o caixa libera o dinheiro ou compra mas lança um alerta no banco ou na polícia. João Felipe explicou que o “pânico” ao qual o Lima se referiu é “clonaram meu cartão” ou “preciso que um pagamento acima do limite seja aprovado”. André Silva entendeu como um intercomunicador com o gerente, tipo o Zordon, que Erick Santos representou:

power-ranger-gif-08

Para terminar o assunto, Victor Lima contou a experiência que teve com o app da SporTV de times para Apple Watch. Ele estava ocupado, não acompanhando o jogo, e foi recebendo as informações dos gols, início e final da partida, etc. Ele achou bem útil. Ainda teve a parte do hand-off (mesmo que manual) na qual ele foi ver o vídeo de um dos gols.

João Gouveia ressaltou que qualquer coisa que demande mais de dez segundos não vale a pena ficar com o braço levantado e torno para ver em uma telinha ruim. Gabriel Brettas comentou que a tela é incrivelmente boa, mas ele concorda. =)

E esse mês foi isso! Quer saber mais sobre algum tópico, tem algo a acrescentar ou acha que faltou comentarmos alguma coisa? Deixe aqui embaixo seu comentário. Até agosto!