Concrete Logo
Hamburger button

Spring Boot na nuvem, de graça, e com as melhores práticas

  • Blog
  • 3 de Abril de 2016
Share

Pode ser que para muitos eu esteja fazendo chover no molhado, mas não custa nada procurar ajudar os mais atrasados que, como eu até pouco tempo, estão batendo cabeça por aí =)

Minha intenção aqui é fazer um guia rápido baseado na experiência que tive ao colocar um projetinho 100% na nuvem com a melhor engenharia possível (ao meu alcance :P) e de maneira gratuita 🙂

Vamos dividir esse post em 3 partes. São elas:

Parte 1 – Vincular o build do seu projeto ao Travis-CI
Parte 2 – Usar o Codacy.com para análise estática e Cobertura de código
Parte 3 – Fazer o deploy do projeto no Heroku

Para alcançar o objetivo, vamos precisar das seguintes ferramentas:

Criando suas contas nos serviços que serão utilizados:
Para quem ainda não tem conta no GitHub, basta fazê-la aqui.
A sua conta do GitHub será utilizada também para acessar o Travis-CI.

image19

Vou assumir aqui que você já tem seu repositório no GitHub criado e com seu código por lá, para acelerar um pouco as coisas.

No Travis-CI, agora é hora de ativar seu repo, para que o mesmo seja escutado. Para isso, basta clicar no “+”

image09

Depois pode ser que seja necessário sincronizar seus repositórios, caso eles não estejam aparecendo.

image05

Com os repos já sincronizados, basta ativar o desejado \o/

image12

Um dos principais arquivos, que dará vida do seu projeto na nuvem, é o .travis.yml. É nele que estarão as instruções necessárias para o build, upload de cobertura de código e deploy no heroku. Vamos incrementá-lo aos poucos, começando pelo básico.

Como vou usar Gradle e Oracle Java 1.8 para o projeto de exemplo, teríamos um .travis.yml no seguinte formato:

Prontinho! Agora é só commitar o .travis.yml para o seu repositório que os commits subsequentes serão escutados pelo Travis-CI, que executará o build (=

image15

Aí, então, é só então acompanhar o build do seu projeto por lá.

Certo? Ficou alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Deixe nos campos abaixo. Na parte 2 eu falo sobre Codacy.com, análise estática e cobertura do código. Não perca!