Concrete Logo
Hamburger button

BrazilJS 2016 : resumo, críticas e sugestões

  • Blog
  • 4 de Setembro de 2016
Share

*Este post foi originalmente publicado no Medium pessoal do autor. Confira aqui.

A BrazilJS é de longe o maior evento de JavaScript do Brasil. Esse ano, mais de 1.500 desenvolvedores foram a Porto Alegre presenciar palestras de altíssimo nível, fazer network, procurar oportunidades de emprego e por último, e mais importante, pegar adesivos (hehe).

O maior evento de JavaScript do Universo?

Mas nem tudo são flores, então nesse post vou relatar a minha experiência no evento, mostrando tanto os lados positivos quanto alguns poucos lados negativos da BrazilJS 2016. Esse post está dividido nas seguintes seções:
  • Localização
  • Palestras
  • Mulheres
  • Tendências
  • Conclusão

Localização

O evento ocorreu no mesmo lugar do ano passado, no Barra Shopping Sul.Como relatei no post do ano passado, no geral é um excelente lugar para se fazer um evento dessa proporção, mas alguns problemas que eu já havia reportado continuaram acontecendo esse ano: WiFi ruim e conversas no fundo atrapalhando quem queria focar nas palestras.

Esse ano com direito até a arquibancadas

Palestras

Esse ano, como já ficou comum na BrazilJS, o nível dos palestrantes foi altíssimo. Nesse post vou fazer um resumo das principais palestras que aconteceram.

Jake Archibald

O maior nome sobre Service Workers, Jake Archibald, mostrou que aplicações SPA geralmente têm a renderização mais lenta e como podemos tentar resolver esse problema com streams.

Além disso, Jake mostrou que é possível competir, e às vezes até ganhar, de apps nativos usando Progressive Web Apps.

Stepan Parunashvili

Eu não conhecia o Stepan antes da BrazilJS, mas pra mim foi uma das melhores palestras. Ele falou sobre como escalar aplicações usando React.

Lembrando que o termo “escalar”, para aplicações client-side, está mais relacionado ao aumento do número de desenvolvedores de um projeto sem que a produtividade da equipe seja prejudicada. Isso só é possível, segundo ele, graças à forma com que as aplicações em React são arquitetadas: com componentes.

Mattias Petter Johansson

O mpj, autor do canal FunFunFunction, resolveu falar sobre um tema bem complicado: Monads e Functors. Por coincidência, eu fiz um post recente sobre o assunto.

A palestra dele foi extremamente didática, com desenhos e ilustrações, mostrando desde os temas mais simples como a função map até os mais complicados como Functors.

Sérgio Lopes

O único palestrante brasileiro da lista, Sérgio Lopes fez uma palestra muito interessante sobre como melhorar a performance de forma considerável em aplicações Web, com mudanças extremamente simples.

Uma pena que a palestra foi mais focada em CSS e não em JavaScript.

Observação: O Sérgio participa do hipsters.tech, um podcast sobre tecnologia da galera da Caelum e Alura, que eu recomendo.

Lea Verou

Na minha opinião, a melhor palestra de todo o evento foi a da Lea. Ela falou sobre como construir melhores APIs com conceitos simples de UX.

No geral, um dos pontos que a organização poderia melhorar para o próximo ano é dar um foco maior em palestras sobre JavaScript, como foi no evento de 2015.

Alguns podem argumentar que o evento é sobre Front-End em geral, e é um ponto válido. Mas na minha visão, por ser um evento de JavaScript, o nosso foco primordial deveria ser o JavaScript e seu ecossistema, como o próprio Jean falou:

jean braziljs

Além dos pontos citados acima, eu senti falta de Programação FuncionalRedux.

Fica também minha sugestão de palestrantes pro ano que vem:

Por outro lado, diferente da edição de 2015, todos os palestrantes brasileiros realizaram sua palestra em português. O que foi muito bom pra quem estava assistindo.

Mulheres

Esse ano nada menos que NOVE mulheres foram palestrantes do evento.

braziljs2

E uma dessas palestrantes foi a Alda (mjcoffeeholick), que apontou diversos casos de sexismo que ela sofreu durante sua carreira, e o que nós homens podemos fazer para que isso não aconteça mais. A palestra dela foi muito emocionante. Eu nunca tinha visto alguém ser aplaudido de pé numa palestra de tecnologia antes.

Mulheres na BrazilJS 2016

Tendências

Um dos pontos legais de ir a um evento desse porte é verificar quais tendências de mercado têm mais possibilidade de sucesso nos próximos anos.

Fazendo um resumo geral de todas as palestras, temos essas tendências para ficar de olho:

  • Progressive Web Apps (Service/Web Workers)
  • Programação Funcional e Reativa
  • Diversidade em equipes
  • JavaScript Universal (ou Isomórfico)
  • Offline first
  • Performance
  • Acessibilidade

Conclusão

Para concluir, a BrazilJS continua sendo um evento que vale muito a pena o investimento, não só pelo conteúdo das palestras mas também pelo contato com uma das comunidades mais fantásticas.

Portanto,

Always bet on JS

E você? Estava lá? O que achou? Deixe suas impressões nos campos abaixo. Até a próxima!