Concrete Logo
Hamburger button

5 maneiras de deletar arquivos e diretórios permanentemente no Linux

  • Blog
  • 8 de Fevereiro de 2017
Share

Na maioria das vezes, quando deletamos um arquivo usando o comando rm ou esvaziamos a lixeira não estamos realmente deletando. Os arquivos simplesmente ficam escondidos dos usuários e dos aplicativos em algum lugar do disco, e é possível recuperá-los utilizando softwares ou equipamentos especializados. Imagine o risco que você corre ao vender um equipamento que algum dia conteve arquivos sigilosos? Há chances de que o novo proprietário consiga recuperar tudo.

Conheça 5 ferramentas que permitem apagar arquivos para sempre, de forma segura:

1. Shred

O comando shred sobrescreve o arquivo repetidamente antes de apagá-lo, o que impossibilita que o conteúdo original seja recuperado mesmo quando o arquivo é restaurado.

2. Wipe

Wipe é um utilitário que apaga permanentemente arquivos e diretórios em discos magnéticos e SSD.

3. Srm (Secure rm)

Srm é uma ferramenta que faz parte do conjunto secure-delete. Seu funcionamento é similar ao comando rm junto com shred.

4. Sfill (Secure Free Disk and Inode Space Wiper)

Outra ferramenta do conjunto secure-delete. Preenche o espaço disponível na partiação com dados aleatórios, impossibilitando a recuperação dos arquivos deletados.

5. Sdmen (Secure Memory Wiper)

Mais uma ferramenta que pertence ao secure-delete. Sua função é remover dados presentes na memória RAM.

Conclusão

Particularmente gosto de remover meus arquivos de forma permanente sempre que troco de máquina. Se você preza pela segurança dos seus dados, sugiro que faça isso também. Ficou alguma dúvida ou ter alguma coisa a acrescentar? Aproveite os campos abaixo! Para terminar, vou deixar alguns links para estudo:

https://linux.die.net/man/1/shred
https://wipe.sourceforge.net/
https://srm.sourceforge.net/
https://manpages.ubuntu.com/manpages/precise/man1/sfill.1.html
https://www.linuxcertif.com/man/1/sdmem/

Até a próxima =)

É desenvolvedor e quer trabalhar em um time ágil de verdade? Clique aqui.