Concrete Logo
Hamburger button

Firebase Dev Summit: quais as novidades?

  • Blog
  • 7 de Novembro de 2017
Share

Você já deve conhecer o Firebase, ferramenta praticamente indispensável para apps de qualquer tamanho. Na semana passada, conversamos um pouco sobre as principais funcionalidades, o que a gente não gosta e gosta e como a gente usa no ProdCast (que você pode ouvir aqui). Mas depois dessa conversa rolou em Amsterdã, na Holanda, a 2ª edição do Firebase Dev Summit, evento que contou com alguns anúncios importantes que adicionaram ainda mais poder de fogo ao Firebase.

Vamos às novidades?

Crashlytics integrado ao Firebase

Essa já era esperada há tempos, né? Desde o anúncio da compra do Fabric pela Google no início deste ano. Por mais que o Firebase já oferecesse uma ferramenta para acompanhamento de crashes em aplicativos, o Crashlytics nunca perdeu sua coroa como melhor ferramenta de todas para esse propósito. Seja pelo painel extremamente completo, seja pela facilidade de integração e a gratuidade, ele nunca teve seu primeiro lugar sequer ameaçado por qualquer outra ferramenta.

Nesse primeiro momento, a integração está ainda considerada em estado beta e inclui vários dos insights que o console do Fabric já oferecia, porém integrados aos dados no painel do Firebase. A ferramenta original de crashes ainda está lá, lado a lado, mas é bem provável que ela dê adeus assim que a integração com o Crashlytics for promovida a estável.

Outro ponto legal dessa integração é que por meio de dados do Crashlytics é possível disparar funções do Firebase Cloud Functions, deixando ainda mais interessante a adoção como ferramenta para monitoramento de crashes.

Para quem utiliza Android, uma novidade menor nesse sentido é que os artefatos que antes ficavam num repositório Maven do Fabric estão começando a dar as caras no repositório Maven do Google. Assim, é menos um repositório a ser adicionado no projeto.

Redesign do Console

Também inspirado pelo Fabric (que sempre ofereceu um painel de controle com design diferenciado), o console do Firebase sofreu uma reorganização das ferramentas, agrupadas agora por “assunto”, como Desenvolvimento, Estabilidade, Analytics e Crescimento.

Além disso, agora assim que você abre o projeto a página inicial exibe algumas métricas-chave, como usuários ativos por dia, usuários ativos por mês, porcentagem de usuários com sessões sem crashes e quantidade de crashes.

Por fim, a parte de analytics foi totalmente expandida, fornecendo muito mais informações para fácil consulta e acompanhamento do desempenho do aplicativo com os usuários.

Testes A/B

Apesar de já ser possível anteriormente de forma indireta (você mesmo deveria controlar a duração, quando parar, percentual de variação, etc.), agora é possível criar testes A/B diretamente no console do Firebase utilizando o Firebase Remote Config. Com isso, é possível definir objetivos, públicos, etc., e o Firebase se encarrega de verificar qual experimento foi o vencedor, dado determinado objetivo. Muito bacana!

Firebase Predictions

Este, acredito eu, foi o anúncio mais legal de todos. Basicamente, é o poder do Machine Learning entrando em contato com os dados de analytics dos aplicativos. O Firebase Predictions cria grupos de usuários automaticamente, com base nos eventos de uso do seu aplicativo. Com essa análise são criados automaticamente quatro grupos de usuários: aqueles que tendem a abandonar o app nos próximos 7 dias, os que tendem a continuar engajados com seu app, os que tendem a gastar dinheiro no seu app e usuários que tendem a não gastar dinheiro nos próximos 7 dias.

Além disso, é possível criar previsões baseadas em eventos customizados, e o Firebase Predictions agrupa usuários que tendem a determinado comportamento pra você. Fantástico!

Bom, seria possível me alongar aqui quase que infinitamente sobre essas novas features, ou mesmo o que é possível fazer agregando-as àquelas já existentes. O que nos resta agora é explorar o Firebase e aguardar por ainda mais novidades que devem surgir nos próximos meses. Se você se interessou em acompanhar o que está acontecendo, sugiro o blog do Firebase e o canal no Youtube.

Até logo!

Manja de desenvolvimento mobile e quer trabalhar em um time ágil de verdade? Vem pra cá!