Concrete Logo
Hamburger button

Os 10 links do mês – Novembro

  • Blog
  • 29 de Novembro de 2017
Share

É muito link, muito assunto, muita troca de informação e zoeira (claro, como não?) no fórum interno da Concrete e neste mês de novembro não poderia ser diferente. \o/ Conseguimos listar os 10 mais em um ranking que começa na treta eterna iOS X Android, passando pelo insight de uma marca de óculos, tropeçando no C# (sim, sim, rapá, teve .NET) e caindo de cara no Voice Interface. Com trocadilho. 😉

Sem mais delongas… seguem os 10 links mais comentados no nosso fórum interno neste mês.

10. More than one billion

Thiago Lioy, do capítulo iOS, mandou esse link falando que mais de um bilhão de dispositivos Android executam software desatualizado e conquistou a décima colocação. \o/ O capítulo Android começou a se manifestar com Eduardo Cucharro, dizendo que toda essa história era mimimi; e Wesley Silva, gerente DevOps, respondeu que mais de um bilhão de usuários de Android podem, se quiserem, acessar esse outro link e conferir que rodam software desatualizado. Wesley ainda sugeriu este daqui, para quem quer ver o que realmente executa por baixo do capô. Já Tales Andrade sugeriu esse outro. A defesa foi rápida na jogada. 😉

9. Using the IPhone X

Diretamente do capítulo Design, Gabriel Brettas abraçou a nona colocação do ranking com esse link sobre um app que usa o mapeamento da face do iPhone X para indicar estilos de óculos. Otávio Gomes logo se lembrou de uma funcionalidade que o site da Rayban tem há algum tempo. Antes, a galera de lá usava a web cam live para simular o óculos, mas hoje eles gravam um vídeo preview e simulam um óculos em seguida.

Rafael Xavier mandou para jogo esse link sobre um app que ele achou sensacional. Aí veio Jota Monteiro lembrando de um insight bem maneiro de como usar esse reconhecimento facial tão detalhado para desenhar interações adequadas às reações do usuário, assim como inflexões na voz e contexto da conversa. E ainda lançou a pergunta: imagina que legal o seu bot saber entender como o usuário está se sentindo e adequar o tom da conversa apropriadamente? Isso lembrou a ele o conceito de context collapse.

8. Você usa Minix

O CEO que vc respeita, Fernando de La Riva, mandou esse link para o Fórum sobre esse sistema operacional Minix, que está dentro dos CPUs mais modernos da Intel. FR ainda fez uma questão de múltipla escolha para a galera:

1) Tem um servidor de HTTP no seu chip que você não sabia e não tem controle sobre ele

(2) Tem um file system e um stack de rede na sua CPU que você também não tem controle

(3) o Tanembaum é agente da NSA 🙂 …not

Alexandre Bairos perguntou: “Why on this green Earth is there a web server in a hidden part of my CPU? WHY? ” E lembrou que o próprio Tanenbaum comentou após publicar uma carta aberta: “I think creating George Orwell’s 1984 is an extremely bad idea, even if Orwell was off by about 30 years.”

Filipe Mondaini disse que já estão conseguindo acesso. Por curiosidade, alguns devices rodando Android 23+ também executam outro OS ao mesmo tempo, conhecido como TEE (Trusted Execution Enviroment), de acordo com Eduardo Cucharro.

7. Welcome to C# 7.1

Alexandre Nascimento, gerente .NET, colocou o C# 7.1 e o 8.0 na roda, que vêm com atualização do Visual Studio mais frequente. Dessa vez, eles estão abraçando versões menores de C#, que geram recursos de linguagem úteis, mas com intervalos mais curtos. O que significa que você não precisa esperar muito para que o valor adicional seja enviado, mas também facilita o alinhamento de uma versão C# com o envio de recursos relacionados. Geral curtiu!

6. Totally Tooling

Esse vídeo sobre acessibilidade foi enviado pelo Bruno Gonçalves. Todo mundo curtiu e Jota Monteiro disse que merece um “ponto extra” para a relevância do momento.

5. Paródia

De novo ele: Bruno Gonçalves volta para o pódio com esse link hilário (até Bon Jovi vai achar!) da paródia ‘You give REST a bad name’. Todo mundo riu muito, mas Agustin Albertengo, gerente JavaScript, ainda destacou a parte que mais gostou: “”your errors come back as 200, ok”.

4. One Bitcoin

Flávio Nazário, do capítulo Design, que sempre está por aqui, aparece agora na quarta posição do ranking. O link fala que uma transação com bitcoin hoje equivale ao gasto de energia de uma semana da sua casa. Matheus Lima veio em defesa do grão-mestre Satoshi Nakamoto, dizendo que ele não tinha como saber tudo de antemão.

O Proof of Work tem lá seus problemas, mas o Ethereum em breve vai trocar de Proof of Work para Proof of Stake, o que já resolve esse problema. Talvez o Bitcoin faça o mesmo no futuro, aposta. Nazário sugeriu que poderia até ser previsto algo próximo, já que você precisa de uma cadeia de processamento descentralizado para manter as transações seguras. Nosso Homem React… ops… Matheus Lima segue apostando no Proof of Stake.

3. Facebook Messenger – Pesquisa Qualitativa

Nosso head da área Mobile, Victor Lima, mandou esse link do resultado de uma pesquisa qualitativa realizada sobre o app. Rafael Xavier adorou tanto que passou para um grupo do seu antigo mestrado, que estuda a comunicação por mensagens. Já Gabriel Brettas achou conflitante esses resultados, porque, afinal, quem se lembra da última vez que tentou sair para tomar um café com um amigo que manda muita mensagem?

2. Divirtam-se: The wrong way to do Agile

Na verdade, o segundo lugar do ranking não é um, mas sim cinco links enviados por Alexandre Portella. Geral se amarrou porque é uma série de vídeos que mostra de maneira tragicômica a importância de se fazer Ágil corretamente.

1. Voice Interface

No lugar mais alto do pódio ficou o capítulo Design, com essas listas indicadas por Gabriel Brettas. \o/ Victor “Capitão” Nascimento achou interessante, mas superficial nas recomendações. Renato Monteiro responde que se existe interação com as pessoas e a necessidade de garantir ou estimular uma conexão emocional em qualquer nível, qualquer que seja a interface, o papel do designer fica garantido. Ter o apoio de linguistas, assim como qualquer tipo de especialistas em domínios de produto, serviço ou mercado é um diferencial importante, mas ele não vê um profissional substituindo outro.

Para Brettas, que sugeriu dois links, a parte visual é apenas uma abstração; mesmo sem visual os designers vão continuar “desenhando”, só que ao invés de usar Photoshop, Sketch e CSS vão usar cada vez mais gestos, voz e sons. Jota Monteiro não acha que o papel dos linguistas nas empresas é desenhar as interações, mas sim ajudar a construir a inteligência do robô. Já Alexandre Portella teve uma experiência positiva com redatores + designers. Não só a especialidade de cada um foi um diferencial, mas também a combinação do uso correto dos termos aliados à preocupação com a experiência.

E assim encerramos nosso bate-papo este mês. Passou como um foguete? (tunduntsss) Gostou? Tem algo que faltou a gente comentar? Deixa aí nos comentários! Em dezembro a gente volta com mais assuntos. Até lá!

Se você também gosta de compartilhar conhecimento e quer fazer parte do nosso time, acesse aqui. Mas se você precisa de ajuda para sua estratégia e quer saber mais sobre nossos times e produtos, entre em contato!