Concrete Logo
Hamburger button

Como foi o Coders on Beer Android

  • Blog
  • 17 de Janeiro de 2018

O Coders on Beer Android, que aconteceu nessa terça, na Concrete Rio, foi de altíssimo nível técnico, mas também foi muito divertido. O que não poderia ser diferente, com Luiz Cristófori, Natan Ximenes e Marcus Souza à frente do evento. Para um auditório lotado, nossos Androiders falaram, com bom humor, sobre a importância de se criar um conteúdo de qualidade, pensando no impacto direto que ele terá na experiência do usuário.

Quem abriu o bate papo foi Luiz Cristófori, que falou sobre Constraint Layout, arquitetura que melhora, consideravelmente, a performance do app ao diminuir o nível hierárquico da escritura na tela de layout do Android. Assim, o coder consegue ter uma performance mais proveitosa a partir de um layout mais flat, ou seja, a partir de uma estrutura menos hierárquica.

“Temos que lembrar que o nosso app não vai rodar só em um pixel 2XL, mas também em sistemas ruins, então temos que ficar antenados na perfomance do nosso app. Aqui na Concrete a gente usa muito em projetos com layouts mais complexos, porque facilita bastante o desenvolvimento”, disse Cristófori.

Como a comunidade sente falta de um bom framework para Android, Marcus Souza resolveu apresentar o Room, ferramenta que veio junto com o Android Architecture Component, novo padrão de desenvolvimento para Android, e chegou para fazer uma abstração do SQlite, base de dados utilizada no sistema.

Como o tema é novo, não demorou muito para o CSer começar a codar, mostrando à galera o novo framework ORM, muito usado em seus projetos na Concrete. “Fiquei tão animado que logo comecei a estudar. Tanto, que lembrei da época em que trabalhava para web, com Java, e percebi algumas características parecidas entre ambos. Logo senti facilidade no aprendizado e passei a aplicar em alguns projetos para Android. Funcionou super bem”, comentou.

Fechando com chave de ouro (e muitos gifs) o Coders on Beer do capítulo Android, Natan Ximenes falou sobre streaming de conteúdo no Android, usando ExoPlayer, biblioteca open source mantida pelo Google voltada para a execução de mídia. Ao falar sobre soluções de streaming de conteúdo, como Netflix e Youtube, Natan conseguiu abranger todo o processo de como é criado um streaming: desde o seu ponto de partida, a captação de mídia, passando pelo servidor, até chegar ao app.

Natan ainda contou que começou a estudar sobre o ExoPlayer quando sentiu a necessidade de criar um app de streaming para um projeto no qual estava trabalhando. E, naquele momento, acabou sendo a melhor solução encontrada. “Minha ideia foi mostrar que é possível executar streaming da mesma forma que os grandes serviços, através do uso do ExoPlayer”, explicou.

Você estava aqui? Conte pra gente como foi! Se você não veio, fique atento às nossas redes sociais para participar dos próximos =) Semana que vem tem QA em São Paulo, hein? As vagas estão acabando…